Inspirado na escova japonesa um cabeleireiro da periferia do Rio de Janeiro criou o que conhecemos hoje como Escova Progressiva, essa criação aconteceu no ano de 2003, mas vamos voltar no final dos nos anos 90 para saber como tudo começou.

No ano de 1998 o Japão lançou um procedimento para alisar os cabelos a famosa Escova Japonesa, o procedimento deixava os fios extremamente lisos e brilhantes já na primeira aplicação.

Sonho de toda mulher que tem cabelos rebeldes, porém é aí que causava a decepção, a escova japonesa tem um sua composição, além de outros elementos químicos, um elemento chamado: ácido til glicólico de amônia, esse ácido não pode ser aplicado em qualquer tipo cabelo.

Um exemplo são os cabelos descoloridos, o famoso loiro, outro ponto era que a escova japonesa não poderia ser retirada dos fios, a química era tão potente que mudava totalmente a estrutura do fio, infelizmente só esperando o cabelo crescer e cortar a parte que ainda mantinha a química.

Composição do nosso cabelo

A estrutura do nosso cabelo é composta por enxofre e hidrogênio e o ácido til glicólico de amônia abre a cutícula dos fios dando uma nova estrutura, por isso o cabelo fica lisíssimo.

Outro ponto é que a escova japonesa a cliente ficava até mais de oito horas para fazer esse procedimento que somado às horas o valor era absurdo de caro.

Em 2003 esse cabeleireiro da periferia carioca criou a escova progressiva com formol.

Mas como descobriram que o formol alisava o cabelo?

Dizem que em um haras uma pessoa notou que para deixar a crina dos cavalos lisas e brilhantes um bom shampoo não era o segredo, os seus cuidadores adicionavam formol no tratamento da crina, então essa pessoa se juntou a esse cabeleireiro e fizeram o experimento em cabelos humanos.

Deu certo?

Sim e não.

Sim porque, deixava os cabelos lisos, brilhantes, com movimentos sem parecer liso artificial, efeito que a escova japonesa não tinha como negar que foi feito alistamento, o cabelo ficava perfeito.

Esta cliente passou de entediantes oito horas sentada numa cadeira reduziu para menos de três horas.

Outra coisa que atraiu as clientes foi o valor, o preço de uma progressiva era menos que a metade da escova japonesa, afinal formol na época era muito fácil de comprar, não dependia de importação e muito menos da cotação do dólar.

Não era necessário deixar o cabelo crescer para então cortar o comprimento o com o produto, com a progressiva em três meses o cabelo voltava ao normal, uma vez feita a química nos cabelos não era necessário fazer a escova em si.

Bastava passar o secador sem precisar modelar mecha por mecha, uma marca bem conhecida no ramo desenvolveu uma progressiva exclusivamente para cabelos descoloridos, loiros, tingidos de verde, azul, descoloridos de modo geral.

Escova Progressiva

A proibição do uso do Formol

Em contra partida veio o não, o ponto negativo da escova progressiva com formol foi alertado pelo médicos, descobriu-se que o formal é extremamente tóxico. Era feito o seguinte procedimento

  1. aplicar o produto e passar a prancha, chapinha, para ativar e alisar os cabelos, com a alta temperatura da prancha que pode passar dos 230°;
  2. As mechas devem ser em pequenas quantidades de cabelo e em cada mecha a prancha é passada no mínimo 7 vezes;
  3. A fumaça intoxica tanto a cliente quanto o profissional que aplica, causando danos severos ao sistema respiratório.

O uso do formol para alisamentos é proibido pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o formol causa muitos problemas como :

  • náuseas;
  • lacrimejamento dos olhos;
  • garganta irritada;
  • irritação e queima do couro cabeludo;
  • queda dos cabelos;
  • Risco de Câncer.

Alguns danos podendo ser até irreversíveis, mas o maior dano que o formol pode causar é o câncer na vias aéreas superiores.

Existem produtos no mercado da beleza que a concentração de formol chega a ser 22% acima do permito pela ANVISA.

Infelizmente a busca por cabelos lisos não atinge só as mulheres adultas, crianças também querem ter o liso perfeito, meninas com menos de 12 anos de idade fazem esse procedimento com o consentimento de suas mães.

Houve um caso ressente de uma garotinha de 9 anos precisar de internação por ter sido intoxicada pela fumaça causada pelo formol, a criança ficou 21 dias internada na UTI de Ferraz de Vasconcelos em São Paulo.

Escova Progressiva

Mesmo usando máscara o formol é altamente tóxico

Porém a ANVISA libera uma quantidade de formol na composição da progressiva que é de 0,2%, nessa porcentagem o formol funciona como um conservante e não como um alisante, explicação dada por um dermatologista.

Então quem quer ter o tão sonhado liso pode ficar tranquila que vai poder realizar esse sonho, mas lembrando que deve ter alguns cuidados antes e depois de fazer a progressiva.

Cuidados na preparação

  1. Pelo menos um mês antes de fazer a progressiva: corte as pontas assim eliminando qualquer ponta dupla;
  2. faça cronograma capilar e reconstrução capilar pois ela age no fortalecimento dos fios;
  3. fazer o teste de mecha que consiste em pegar uma mecha de cabelo e aplicar o produto para ver se o cabelo tem uma reação positiva;
  4. para os cabelos descoloridos esperar pelo menos 15 dias após a descoloração para aplicar a progressiva.

Escova Progressiva

Cuidados após o procedimento

Depois da progressiva, o cronograma capilar deve ser mantido:

  1. Não use shampoo de limpeza profunda pois a ação deles retiram a progressiva;
  2. Shampoo transparente também não devem ser usados pois a quantidade de detergente é muito concentrada;
  3. Use máscaras sem sal (sulfato ferroso);
  4. Passe protetor térmico antes de usar o secador;
  5. Utilize fronha e touca de seda para evitar o frizz.

Faça o retoque de raiz conforme o cabelo vai crescendo, para evitar as caspas que na verdade é o couro cabeludo descamando resultado do seu ressecamento, para isso hidrate o couro com glicerina por exemplo.

Mantendo todos esses cuidados dificilmente você terá problemas causados pela progressiva, pesquise marcas que obedeçam os protocolos da ANVISA.

Consulte um dermatologista para dizer se seu couro cabeludo está saudável para receber esse tipo de química, confie somente em cabeleireiros que prezam e respeitam a sua necessidade.